30 de janeiro de 2013

Comércio online e alfândegas


Ao se comprar fora da UE estamos sujeitos a taxas alfandegárias e isso é muitas vezes um obstáculo.

O sistema de cobrança destas taxas não é óbvio nem simples, pelo que dificilmente se consegue prever se uma encomenda fica retida para posterior pagamento das respectivas taxas. Há no entanto procedimentos que podemos adoptar para minimizar o risco desta despesa.

Ao escolher o método de envio da sua encomenda tem quase sempre a opção de correio normal ou transportadoras. No caso de escolher correio normal vai minorar a probabilidade de a sua encomenda ficar retida na alfândega, pois as empresas transportadoras além de serem mais fiscalizadas têm a possibilidade de cobrar taxas de armazenamento, no caso de a encomenda ficar retida.

O valor da encomenda será também um dos parâmetros de selecção das encomendas. Valores declarados superiores a 45€ dificilmente escapam ao crivo fiscal.
Formas para evitar este crivo passam por:

  • Requerer ao comerciante que a encomenda não seja acompanhada de factura;
  • Seleccionar, se disponível no acto da compra, "enviar como presente" (Send as Gift);
  • "Reparações" (Repair / RMA), "Merchandising", "Amostra"(Sample) são também designações que escapam às finas malhas alfandegárias.

 As encomendas de grande volume dão mais nas vistas e por isso são mais verificadas. Pode ser compensador dividir em diversos volumes e envios as suas aquisições, sendo a desvantagem o encarecimento dos custos de transporte.

Estas dicas apenas são orientadoras e pretendem minimizar a probabilidade de pagamento de taxas alfandegárias. O serviço deles é cobrar os impostos relativos a estas compras ao mesmo tempo que protegem o país de importações ilegais.

27 de janeiro de 2013

e-factura

O "brinde" pode ser pequeno, não mais que uns poucos cêntimos por cada factura introduzida no site, ao que acresce o sentimento de dever cumprido no combate à evasão fiscal e de ajudarmos o nosso país. Até a meia dúzia de cêntimos parecem mais atractivos nos dias que correm, verdade?

Em 2013 as facturas vão ser comunicadas electronicamente à autoridade tributária e se forem facturas completas (preenchidas com NIF) figuram quase automaticamente no site e-facturas. Se, pelo contrário, forem facturas sem NIF podem (e devem) ser manualmente introduzidas. O benefício e quase residual, mas ao fim de um ano podemos reaver no IRS uma quantia simpática.
"Grão a grão enche a galinha o papo" e podemos ver este "papo encher" na página bastando apenas fazer log-in e visualizamos facilmente os montantes acumulados. Isto tem também o efeito perverso de mostrar a pequena exorbitância que pagamos em IVA.

Este é o site


18 de janeiro de 2013

Emprego

A empresa doPorto Douro Azul está a contratar. Mais informações aqui.




«É a oportunidade para quem queira abraçar uma carreira num ambiente único de contacto com turistas de todo o mundo, integrando uma equipa de profissionais de excelência, numa das mais belas regiões demarcadas: o Douro»

11 de janeiro de 2013

Regatear

Por vezes uma transacção tem mais valor para quem vende do que para quem compra. Use isto para tentar baixar o preço. 
Não tem de ter vergonha nem pena do negociante, use e abuse. Muitos comerciantes já contabilizam nas suas margens esta negociação. E se o cliente não aproveita, significa mais lucro para o vendedor.

10 de janeiro de 2013

Saldos

Evite comprar perto de datas comemorativas, por vezes os preços poderão estar inflacionados nos dias anteriores a datas especiais, como o Natal ou Dia dos Namorados. 
Use os saldos não esquecendo o "pensar antes de comprar". 
Não esqueça que as grandes lojas estão organizadas de modo a impelir os clientes a comprar os produtos mais caros, estes parecem aparecer diante dos nossos olhos enquanto que os mais económicos parecem estar escondidos. 
Escolha e verifique cautelosamente os produtos em saldos pois estes podem estar danificados ou com pequenas imperfeições.  

9 de janeiro de 2013

Liquidações e promoções

Há variados motivos para o comércio oferecer os seus produtos a preços mais vantajosos. Ficar atento é importante pois estas podem ser boas oportunidades para comprar.
Reduções de preços e ofertas de produtos são frequentes mas não se esqueça: compre apenas o que precisa, por muito boa que lhe pareça a oportunidade renuncie a gastos supérfluos

8 de janeiro de 2013

Pesquisar antes de comprar

Se tem uma compra a fazer pesquise preços. A internet pode ser uma ferramenta valiosíssima. Existem motores de pesquisa de preços que relacionam varias lojas online retornando uma lista organizada por preços.

7 de janeiro de 2013

Pensar antes de comprar

Avalie bem cada compra antes de a efectuar. 
Quantas vezes já não se arrependeu de uma compra passado umas semanas? A publicidade é matreira e impele-nos a fazer compras desnecessárias, muitas vezes apenas por serem uma novidade e não pela necessidade.

6 de janeiro de 2013

Precisa mesmo de ir de carro?


Pondere bem a aquisição de um carro. Contabilize os gastos em combustível, manutenção mecânica, taxas, impostos e até multas.
Se é imprescindível essa aquisição, limite a utilização. Ir a pé ou de bicicleta além de poupar dinheiro pode ter ganhos a nível de saúde. A partilha de boleias com colegas e amigos pode também significar uma redução de gastos bastante interessante.
Escolha bem os trajectos tendo em atenção que nem sempre os mais rápidos e/ou curtos são os mais económicos.